Laranja Mecânica inspirou o Desafio da Baleia Azul?

23:12:00

Com certeza você já ouviu falar, viu algum noticiário ou já leu em algum lugar sobre a febre do tal "Jogo da Baleia Azul".
“Era uma vez um povo sedento de informação. As pessoas eram curiosas e adoravam falar umas sobre as outras. Certo dia surgiu um ser muito poderoso, que sabia de todas as coisas, estava em todos os lugares, e dava todas as respostas. A única coisa que ele pedia em troca era dedicação total. A empolgação foi geral – todo mundo se tornou discípulo e seguidor, continuamente entregando ofertas de tempo e atenção. Até que um dia chegou a mensagem terrível: o tempo gasto com o oráculo seria descontado da vida das crianças. As pessoas entraram em pânico, mas era tarde demais. Pois enquanto os adultos deixavam de dar atenção aos filhos, dedicando-se ao oráculo, as próprias crianças e adolescentes se haviam se tornado devotos, e agora voluntariamente se entregariam em sacrifício. A única solução foi os pais voltarem a dedicar mais tempo para seus filhos, livrando-os de tão trágico destino.” - DANIEL MARTINS DE BARROS - PSIQUIATRA


Esse jogo funciona da seguinte maneira:
Você entra em algum grupo fechado da Internet e lá você vai receber os 50 desafios que irá cumprir ao longo de 50 dias. Esses desafios vão desde assistir filmes de terror 24 horas, automutilação, subir em telhados, ficar a beira de precipícios,  não falar com ninguém durante algum tempo entre uma série de bizarrices que culminam no último "desafio": o suicídio. Quem entra diz que os Moderadores - que você nem sabe quem é - acompanha a execução dos desafios e que caso, você queira desistir eles vêm atrás de você para te matar.

A imprensa já fez um alarde! Os pais e escolas entraram em desespero. Casos de suicidas supostos participantes  começaram a aparecer em todo canto. Mas qual é a origem desse jogo? E qual é de fato a dimensão dele? 

O desafio, que surgiu na Rússia, muito provavelmente foi inspirado no livro "Laranja Mecânica." Se você nunca leu ou nem sequer ouviu falar nesse nome eu resumo bem rápido: É uma distopia futurística em que o mundo está tomado pela banalização da violência e do sexo. Alex é membro de uma gangue muito violenta que sai às ruas se divertindo de maneira grotesca. A linguagem do livro mescla gírias de gangues inglesas e palavras russas. Um dia Alex é preso pelo governo e é forçado a fazer um tratamento muito duvidoso em que é feito um recondicionamento de mentes criminosas - uma lavagem cerebral pra ser mais precisa. As imagens e sensações a que Alex é exposto transforma completamente sua cabeça."



As vítimas do desafio são os adolescentes com idade entre 12 e 15 anos, fase em que eles  perdem facilmente a noção de realidade, de causas e consequências. Assim como Alex, o tratamento fez com que seu comportamento e pensamentos fossem alterados e ele era um adolescente com 15 anos. Conseguem relacionar as ideias? Os desafios influenciam esse comportamento e facilitam a prática do suicídio.


A Baleia Azul, nesse momento é apenas uma justificativa ou tentativa de responder a onda absurda de suicídios presenciadas até então. Se você acha que foi ontem que começou essa anormalidade eu venho trazer alguns fatos, e contra fatos, não sobram muitos argumentos.

1. O Brasil é o 8º país do mundo  com mais suicídios, segundo relatório da OMS (Organização Mundial da Saúde) em 2015.
3. A porcentagem de jovens com até 19 anos que cometem suicídio é de 3%. Ou seja, a cada 100 suicídios 3 vão ser de pessoas entre 10 e 19 anos.



Agora, some o fato de jovens com depressão, uma família desatenta e um jogo na internet e BUUM! Você tem a bomba perfeita!

O desafio, viabiliza e justifica o suicídio. Agora eu me pergunto, se ao longo de 50 dias - CINQUENTA - quase 2 meses! os pais não percebem uma mínima alteração de comportamento nos seus filhos, O QUE DIABOS ESSES PAIS ESTÃO FAZENDO? É preciso mesmo que um desafio estúpido venha à tona para mostrar um problema muito grave e que vai piorar com o passar dos anos?

Combater o jogo não é a medida que vai solucionar esse problema. São os valores familiares, a amizade saudável, o uso adequado da Internet, é o trabalho voluntário, o "conte comigo" que você pode dar a um amigo ou familiar, é um psicólogo, um terapeuta enfim seja lá quem for que mostre para esses jovens que se sentir inseguro, feio, desprezível não pode nunca os levar a cometer tal ato. Sim, lidar com os jovens não é nada, mas nada fácil. Porém não devemos desistir deles!

O alerta está dado. Agora é parar um pouco com a loucura de trabalhar pra dar o "melhor pros filhos" quando o melhor que você , como pai ou mãe pode dar é uma conversa, assistir um filme juntos, ir ao shopping, passear com os cachorros, ajudar com o dever de casa e participar da vida escolar do filho desde pequeno mostrando o quanto ele ou ela é capaz, o quanto eles são maravilhosos e o quanto vocês o amam passando confiança nessa fase tão vulnerável.

Fica aqui o desabafo de uma depressiva em tratamento constante que entre uma crise e outra resolve ler e escrever para distrair a cabeça e mostrar que não estamos aqui por acaso.

Um grande beijo e até a próxima!

Nenhum comentário:

por Milene Farias desde 2016. Tecnologia do Blogger.