Resenha #17: A Lista Negra - Jennifer Brown

Título: A Lista Negra
Autora: Jennifer Brown
Editora: Gutenberg
Ano:  2015
Páginas: 269
Gênero: Romance YA




A lista foi ideia minha.
Esses dias eu postei no instagram do blog uma TAG com várias perguntas e a primeira delas pedia sobre meu romance YA favorito e, apesar de eu não ler muitos romances YA fiquei na dúvida entre As Vantagens de Ser Invisível e A Lista Negra. Como eu não tinha o primeiro em mãos, optei pelo segundo para tirar uma foto e responder a TAG e fiquei muito surpresa com a recepção e interação das pessoas com esse livro. Muitos falando sobre o quanto ele é incrível e destruiu seus corações e outros pedindo se é bom mesmo e que estão há tempos querendo ler, etc.
Então eu decidi falar mais a respeito desse romance incrível que com certeza vai deixar seu coração em pedaços e te prender até a frase final.

Sinopse: E se você desejasse a morte de uma pessoa e isso acontecesse? E se o assassino fosse alguém que você ama?
O namorado de Valerie Leftman, Nick Levil, abriu fogo contra vários alunos na cantina da escola em que estudavam. Atingida ao tentar detê-lo, Valerie também acaba salvando a vida de uma colega que a maltratava, mas é responsabilizada pela tragédia por causa da lista que ajudou a criar. A lista das pessoas e coisas que ela e Nick odiavam. A lista que ele usou para escolher seus alvos. Agora, Val terá que lidar com os amigos e a escola  para terminar o ensino médio. Mas como ela vai lidar com as lembranças do namorado? E com as pessoas que a culpam pelo que aconteceu? A Lista Negra é uma leitura obrigatória, profunda e comovente.



Diferentemente de outros romances que abordam os temas através da causa deles, e exemplo do mais recente sucesso "Os 13 porquês", Jennifer Brown aborda as consequências dele e ao longo da história é que vamos nos situando com as causas, mas a ênfase maior é no depois do ocorrido, por isso mesmo que gostei tanto desse livro.
Até mesmo, o tema central: o bullying vai ser debatido no quanto que, ao mesmo tempo, as pessoas são responsáveis e vítimas.



A história já começa com Valerie tentando encarar a realidade ao voltar para a escola e enfrentar todos os fantasmas com os quais passou o verão inteiro sendo assombrada.
Nick está mesmo morto. Mas como isso pôde acontecer? Como um menino que amava Shakespeare e que era divertido e gentil poderia ter feito isso? Ela poderia ter evitado? Ela não era culpada, mas sua consciência ainda pesava toneladas por ter sido ela quem deu a ideia da lista.


...eu estava com medo de encarar todas aquelas pessoas. Com medo de que acreditassem em tudo o que leram a meu respeito no jornal e no que ouviram na TV, e achassem que eu era uma assassina. 

A Val é uma adolescente revoltada com a vida, que se sente diferente, acoada e zuada pelos colegas de classe. Ela está longe de ser a garota popular, e entre suas roupas e esmaltes escuros tenta  se camuflar para sobreviver ao ensino médio. Então ela conhece um menino que passa o mesmo que ela, se sente desconfortável com a vida em sociedade e juntos eles passam a ser a fortaleza um do outro.

Até aí tudo bem! Quem nunca foi um adolescente que detestava alguns colegas ou que foram alvos de piadinhas? Eu mesma fui! O problema todo está em como cada pessoa lida com as dores emocionais. Val achou uma alternativa, criar uma lista com tudo o que detesta. Pessoas e coisas. E Nick ajudou ela a construir. 
Mas até então não sabemos dos problemas familiares que ele enfrenta e para somar a isso ele conhece um cara que nitidamente é uma péssima companhia.
Nick começa a usar drogas, falar e agir estranho com ela. Val percebe que tem algo de muito errado em tudo isso, mas ignora. Ele é a única pessoa em quem ela confia e divide suas dores e raivas e não quer se afastar dele, mesmo percebendo que ele está se afundando aos poucos.




Val se culpa por ter percebido os sinais de que Nick não estava bem e por não ter tomado nenhuma atitude para ajudá-lo, mas só agora ficou claro para ela que ele gritava por socorro e ninguém, nem mesmo ela o ouvia.

Se você junta um adolescente que está explodindo hormônios, com negligência familiar, isolamento social, drogas e companhias que o incentivam a fazer coisas erradas tem a bomba relógio perfeita! E Nick, num dia fatídico, abre fogo contra aqueles os quais responsabilizava por ter uma vida tão conturbada.

Val detestava sim aquela escola e todas as coisas, mas nunca quis, de verdade, que ninguém morresse. E muito menos que aquele que ela amava fizesse isso e se matasse em seguida.


Não sei dizer o que se passava em minha cabeça enquanto chorava, apenas que tudo parecia, ao mesmo tempo, melancólico, escuro, detestável, infeliz e miserável. Só sabia que queria Nick e nunca mais queria vê-lo.

A história pega um rumo tão tocante porque é narrada em primeira pessoa, então sentimos e vemos tudo o que ela vivencia e pensa. É angustiante. Dá uma dor tão grande no coração, uma vontade de tirar ela de lá e trazer pra perto de você para dar um abraço e dizer que isso vai passar e que ela não deve se culpar.




Ela tenta retomar a vida, ter esperanças de que esse buraco no peito um dia vai ser preenchido, mas é tão difícil com as pessoas apontando o dedo para ela a responsabilizando o tempo todo. Val vive um verdadeiro inferno, mas precisa ser forte para encarar e sair do ensino médio e tocar sua vida longe dali.

O livro vai sendo apresentado como se fosse um diário. Com as datas e registros de trechos dos jornais, e-mails trocados por eles. A polícia investigou tudo para saber até onde Val participou ou planejou o ataque.

Quando a história termina você ainda tem um nó na garganta mas espera que as coisas fiquem bem com ela. 

É uma análise muito bem construída pela autora, que tem uma escrita impecável e que te prende na história. 



Todos precisam ler esse livro, adolescentes, professores, pais e adultos que já nem lembram da adolescência direito. 
Com certeza é uma das leituras favoritas da vida!

Nota: 5 / 5

Espero que tenham gostado da resenha e ficado com muita vontade de ler esse livro incrível!
Beijos da Mi!

2 comentários:

  1. Oie

    Como você disse , esse livro é otimo ♥♥Todo mundo deveria ler.
    Amei a resenha

    Beijos
    Meu mundinho quase perfeito

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Babi! Obrigada! Ele é realmente um excelente livro para debatermos ;)
      Beijos!

      Excluir

por Milene Farias desde 2016. Tecnologia do Blogger.