Noruega: O melhor país para ser escritor

19:50:00
Não é de hoje que os países nórdicos são considerados os melhores lugares do mundo para se viver.



Com apenas 5 milhões de habitantes, a Noruega, além das belíssimas paisagens naturais e ótima qualidade de vida, agora está tornando-se um dos melhores países do mundo para um escritor trabalhar e viver apenas das suas obras.

Vou listar nesse post alguns dos benefícios que o governo concede à profissão:

1. Um autor iniciante pode sonhar em viver apenas da escrita, porque há bolsas-salário de até 25 mil euros por mês (equivalente a R$ 92.700,00 por ano que dá quase R$ 8 mil reais por mês!) Obviamente, lá o custo de vida é muito alto, bem provável que esse auxílio seja suficiente para sobreviver.

 2. Um autor consagrado, como Knausgârd, recebeu auxilio do governo com 50% dos custos para traduzir livros escritos em norueguês e exportá-lo para outros países.

3. Publicar lá e bem menos arriscado que em qualquer outro país. O governo tem um programa anual de aquisição de livros para bibliotecas, comprando mais de 700 livros de ficção e em média 1550 livros de literatura infantil e juvenil de uma tiragem de até 2500 livros de cada autor.

4. Os livros de papel são isentos de impostos! Outros países também adotaram essa ideia como Reino Unido, Irlanda, Albânia, Ucrânia e Geórgia. O preço é fixo e não pode ser alterado até maio do ano seguinte.

5. A tributação da cultura é bonificada.O escritor aposentado pode receber royalties de suas obras sem ter que renunciar à sua aposentadoria.

6. E o mais importante de tudo: Existe um respeito reverencial pela cultura e pelo criador. E toda essa veneração é mostrada na economia do país onde 1,44 bilhão de euros foi destinado à Cultura nesse ano de 2017, sendo que desse total, 85 milhões foi para o setor dos livros. Que não sofreu quase nada com a crise, devido às produções de qualidade no país e na fácil expansão pelo mundo que o governo oferece às obras de seus autores.

“A Noruega está exportando literatura. A qualidade média das letras do país é muito alta e eu acredito que se deve em grande parte ao apoio dado pelo Estado durante muitos anos”, resume Jostein Gaarder.

Em uma nação leitora, muito leitora – 90% da população lê pelo menos um livro por ano -  começou a perceber que os gênios literários surgidos ali eram poucos e que os títulos interessantes eram cada vez menos notáveis. E um Reino culto como a Noruega não podia permitir que isso continuasse acontecendo.

“Era uma situação muito grave para um país tão pequeno como o nosso, com uma língua territorialmente tão limitada”, diz Oliver Møystad, responsável pela ficção da Norla, na sede do órgão em Oslo.

“Temia-se que pudesse desaparecer se nada fosse feito para fortalecer a literatura, que sempre foi considerada uma fonte de renovação e transmissão do idioma” 

Na Noruega, onde ostentação é um pecado e a modéstia exala, pode se orgulhar de ter os autores que tem maiores condições do mundo para viver do seu sonho.


E aí, você gostaria se aventurar na terra gelada e próspera da Noruega? Eu iria! Sem pensar duas vezes!

2 comentários:

  1. Olá Mi!
    Meu Deus lendo esse post desejei ser escritor, e com certeza tentaria ir me aventurar por lá! Que governo é esse? Nem dá pra acreditar que tenham esse tanto de benefícios! Que maravilha deve ser morar em um país desse! Com esse tanto de isentivo aos leitores! Que post lindo! Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa! Que sonho maravilhoso, né? Eu gostaria muito de ir pra lá. É inegável que um país bem estruturado pode fazer muito pela literatura. Que lindo ver isso.

      Obrigada ❤ beijos

      Excluir

por Milene Farias desde 2016. Tecnologia do Blogger.