Resenha #24: The Beauty Of Darkness - Mary E. Pearson

FICHA TÉCNICA:
Autor: Mary E. Pearson
Título: The Beauty of Darkness - 3º vol. das "Crônicas de Amor e Ódio"
Edição: 1ª ed
Local de Publicação: Editora Darkside Books, 2016.
Selo: Darklove
Nº Páginas: 569

Gênero: Fantasia


Atenção: essa resenha pode conter spoilers dos dois primeiros livros.
Ah, você ainda não leu a resenha dos anteriores? 

Jei zinterr... jei trevitoria. Seja valente. Seja vitoriosa.


Lia, Rafe, Kaden, Griz, Tavish, Orrin e Jeb conseguiram escapar de Venda. Mas as cicatrizes físicas e psicológicas são profundas e é agora que a guerra realmente vai começar.

O Komizar tem um exército gigantesco e poderoso. Lia viu tudo, viu os olhos dele brilhando orgulhoso e faminto por mais poder. Por mais mortes que lhe alimentariam o ego. Nenhum reino resistiria à sua fúria, principalmente agora, com a afronta de Lia e sua tentativa de assassinato.

O Dragão precisa ser morto.



Coragem, destino e luta. Três palavras-chave desse livro.

A Lia está mais determinada do que nunca a salvar seu reino e todos aqueles que ama. Ninguém vai impedi-la, mesmo que isso custe perder o grande amor de sua vida.

Tudo parece tranquilo quando eles chegam na base militar de Marabella no Reino de Dalbrech. Mas Lia sabe que precisa ir até Morrighan para revelar os traidores e liderar o exército na luta contra o Komizar. Ela tem um plano. Mas ninguém a escuta. Eles ainda a tratam como a princesa que precisa ser protegida e continuar calada vendo os homens que sabem governar fazendo seu papel.

Isso nunca vai me impedir de fazer novamente o que eu acredito. Uma vez que ficamos com medo de fazê-lo, a tirania vence.





Nesse desfecho da história percebemos toda a maestria da autora em conduzir o enredo e trabalhar na evolução dos personagens. É uma leitura hipnotizante que cada ação condiz com seu personagem e cada capítulo transforma a história em algo surpreendente.

Aprendemos aqui que as escolhas certas nem sempre são as que nos deixam felizes.

Eu não era súdita de Dalbreck. Ele não decidiria o que quer que fosse em relação a mim.

Lia queria ser ouvida. Ela percebeu seu papel e para que veio no mundo e precisava assumir isso de uma vez por todas. Faria tudo que fosse possível. Nem que isso custasse a sua própria vida.




Arabella Celestine Idris Jezelia, Primeira Filha de Morrighan, noiva fugitiva, inimiga de dois reinos e agora inimiga do Komizar vai provar que é poderosa, indomável e que mesmo sofrendo influências para manipular seu destino e sabotar seus sonhos, ela é quem escolhe seu caminho e a vida de milhares de pessoas inocentes dependem de suas escolhas.

Eu estou escolhendo o meu destino agora, não um livro, um homem, ou um reino. Se os meus objetivos e o meu coração concordam com alguma coisa em um velho livro empoeirado, que seja. Escolho servir a esse objetivo, assim como você é livre para escolher o seu.


A proposta do livro era aproveitar a aventura. Descobrir um mundo novo. Encarar a dura jornada da princesa que cometeria sacrifícios para a liberdade do povo. 
Os personagens jovens, maduros e destemidos condizem com o mundo cruel e difícil que eles vivem. E é nesse mesmo universo cheio de lendas, tradições e protocolos que uma menina de 17 anos vai reescrever tudo. A história começa a partir de agora. 

... me peguei pensando na forma como nós mudamos, em todas as forças externas que nos pressionam, moldam e nos empurram para que sejamos pessoas e coisas que não planejáramos ser. Talvez isso acontecesse de forma tão gradual que, na hora que notássemos que isso tinha ocorrido, seria tarde demais para que fôssemos outra coisa.




Eu só tenho a despejar amor por essa trilogia. O talento da autora é inenarrável! A Lia e sua jornada mexeu comigo de uma forma tão grande que suguei toda a coragem dela, todo o amor por um objetivo e toda a vontade de tomar as rédeas da própria vida. Ela sempre vai ter um grande pedaço do meu coração.

Espero que vocês tenham gostado de acompanhar minhas aventuras por Morrighan, Venda e Dalbrech desde a primeira resenha. E desejo que se você ainda não leu, por favor, reserva um momento para conhecer esses livros. Vale a pena cada madrugada que você pode virar para ler, cada domingo enclausurada dentro de casa acompanhando Jezelia. Cada vez que você percebe que está prendendo a respiração e cada momento que lágrimas teimosas saem sem sua permissão.

As Crônicas de Amor e Ódio representam, acima de tudo, superar todos os momentos difíceis da vida e nunca ouvir as pessoas que dizem que você não é capaz de algo. A força, a dor e as cicatrizes que precisamos ter são a base da nossa existência.



Um grande beijo e até a próxima!

2 comentários:

  1. Oi Mi,
    O que dizer dessa trilogia tão arrebatadora!? Tudo o que a Lia fez foi completamente inspirador, encantador e instigante! Fica o sentimento de saudade e muito amor por essa trilogia! Já imaginou um lugar feito sob os moldes de Terravin pra casais passarem a lua de mel!? 🙌😍 Hahahahahaha
    Bela resenha, beijos...
    PS : muito bem escolhidas as citações do livro!

    www.blogleituravitual.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, seria um sonho viver lá! haha Nem me fale, cada momento que olho para esses livros fico suspirando e pensando no quanto uma história bem escrita pode nos inspirar. A Lia marcou pra sempre minha vida!

      Obrigada! Beijos

      Excluir

por Milene Farias desde 2016. Tecnologia do Blogger.