Resenha #25: Treze - FML Pepper

Autor: FML Pepper
Título: 13
Edição: 1ª edição
Editora: Galera Record
Ano de publicação: 2017
Nº Páginas: 402
Gênero: Ficção Juvenil / Romance


Rebecca Gaziri Lima é uma hacker extremamente habilidosa que, junto com sua mãe, Isra - turca de origem - fazem roubos muito bem planejados. Mas dessa vez, com Jean Pierre cobrando sua dívida, o roubo precisa sair exatamente como o planejado, caso contrário, as duas estarão mortas.

Karl Anderson Moura é um lutador de UFC que está no auge da sua carreira. Vencendo o campeonato invicto, agora vai lutar pelo cinturão. Mas a vida resolveu testar ele, e infelizmente ele não passou no teste. Um terrível acidente de moto fez com que depois de meses em coma ele acordasse sabendo que não voltaria nunca mais aos ringues, caso quisesse continuar vivendo. Um coágulo inoperável o deixaria viver momentaneamente, desde que seguisse um outro estilo de vida.

Madame Nadeje é uma cartomante que um dia cruza o caminho de Rebecca. Suas previsões a assustam e ela acha que é tudo uma armação. Afinal, ela não acredita nisso de "sorte e azar" ela não acredita em Deus e nada relacionado à fé. A única verdade está nos números. A estatística é real. O resto é uma mentira criada para controlar os homens, incluindo o amor.



A premissa da história parecia ser incrível! Eu criei altíssimas expectativas, já que a autora escreveu a Trilogia "Não Pare" (Não Pare, Não Olhe, Não Fuja) que eu sou completamente apaixonada, mas o gênero da trilogia é fantasia que é um dos meus gêneros favoritos. Então, vi que 13 não era fantasia, estava mais pra romance. Mas decidi ler, porque amo a autora.

O que acontece foi que minha expectativa infelizmente não foi correspondida. 
Até a página 100 a história voa, você vai conhecendo os personagens da forma que citei acima. Depois disso, quando os destinos de Karl e Rebecca se cruzam, parecia mais um romance hot. Até o final do livro a história girou na "pegação", no "te amo e te odeio", "sai daqui, vem cá" "hormônios" "calorão" "corpo musculoso" "olhos de mel."



Senti muita falta da autora não trabalhar as habilidades de Rebecca. Por ela ser uma hacker, na hora lembrei de Lisbeth Salander - da trilogia Millenium - mas só na função mesmo. Porque de complexa a personagem não tem é nada. Extremamente previsível e irritante. Ai, Rebecca, desculpa mas eu não gostei de ti. Mesmo percebendo que a forma que você foi criada te levou para essas conclusões erradas sobre os relacionamentos e sobre a vida, eu não curti muito você. Senti falta de maturidade e desenvolvimento da personagem.
Eu acredito no resultado das ações, no que eu vejo, no que consigo tocar! No dia em que eu encontrar com Deus ou com a "Dona Sorte", mudo de ideia, está bem?


Não acredito nas pessoas, mas, para abalar com minhas convicções, existem os... atos de bondade. (...) Os atos altruístas enfraqueciam as minhas crenças e, por mais que eu resista, insistem em me surpreender.

O Karl, foi um cara que não entendi seu caráter. Extremamente vazio e com falta de confiança em si mesmo. Quando ele aparecia era para falar do tesão que sentia pela Rebecca, ou das "gostosas" que ele pegava, passava uma noite e nunca mais queria ver a moça, o que francamente, eu não estava interessada. Queria saber da dor dele ter abandonado aquilo que nasceu pra fazer. A vida limitada que ele teria. E a relação dele com a mãe, que me pareceu que ele realmente tinha um coração enorme. Mas não. A Rebecca era linda, tesuda e tudo de bom, mesmo sendo uma menina irritante e superficial.
Procuro oxigênio no ar rarefeito. Se ela fizesse a menor insinuação de que deseja algo a mais, eu teria mandado a minha compostura para o espaço.


Ela tem um cheiro tão bom que consigo imaginar  um monte de sacanagens em uma fração de segundo. 
O ponto alto da história só acontece no final. E aí que eu despenquei do 30º andar de cabeça. O tema da história (que não vou falar qual é) não foi trabalhado ao longo do livro de uma forma substancial. O enredo não me levou a achar que o tema era esse. Mas a surpresa da revelação acabou meio sem conexão com o resto da história.



A Madame Nadeje aparece no início, canta a letra e some. No final ela volta e é aquele "tchan tchan tchan..... a moral de história é....". Queria ver mais dela no meio da história, interagindo, mesmo que passivamente com a Rebecca.

Não sou muito fã de romance, desde que eles sejam conduzidos de uma forma mais trabalhada. A história vai dando pinceladas sobre a importância de acreditar no amor, de ouvir o coração, de seguir os instintos e que precisamos fazer sacrifícios para proteger quem amamos. Mas pensei em sexo na maior parte do livro, ao ler os encontros dos dois e a vida da Rebecca sendo mostrada.

Só tenho elogios quanto à escrita da autora. Mesmo o enredo não me agradando e o tema central não sendo muito bem trabalhado, ela escreve muito bem. Sabe como te conduzir e te prender na história. É fácil de ler e a descrição é muito boa.

Uma pena, realmente, eu ter encontrado mais coisas negativas que positivas no livro. Mas ainda assim, gosto muito da autora. Sou muito fã dela e acredito que ela possa lançar mais coisas bacanas. Desde que seja fantasia. Não que um autor precise se prender a um gênero, mas acho que ele tem sim, que levantar uma bandeira e defender, assim como senti na trilogia anterior, pois a fantasia juvenil ainda é carente no Brasil.

Eu recomendo a leitura! Eu posso estar exigente demais, ou talvez por eu ter lido muitos clássicos e ter recém lido a trilogia "As Crônicas de Amor e Ódio" que considero um dos maiores enredos da fantasia juvenil da atualidade. Mas meu trabalho aqui é passar para vocês o que eu senti lendo a obra, e de uma forma sincera e com argumentos dizer porque gostei ou não. E esses são os meus. Espero que você possa ter uma visão diferente da que eu tive. Boa leitura!


Nota: 3 / 5

2 comentários:

  1. Que show! Hahahaha posso dizer que dei gargalhadas com essa resenha. Pois adoro essas resenhas ácidas quando um livro nos decepciona tanto! Eu já não tinha vontade d ler, pq não sou chegada em romance. Agora então, com cenas hot, ia ser mais um trauma de leitura mal sucedida p mim. Obg pelo aviso.


    https://livrosserieseartemania.blogspot.com.br/?m=1

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Haha que bom que gostou, Ellen. Eu procuro sempre ser sincera nas minhas resenhas. Não esperava me decepcionar, mas acontece. Faz parte haha

      Beijo!

      Excluir

por Milene Farias desde 2016. Tecnologia do Blogger.