Resenha #29: Procura-se um marido.

Resenha #29: Procura-se um marido.








FICHA TÉCNICA

TITULO: Procura-se um marido.
AUTORA: Carina Rissi
EDITORA: Verus Editora
ANO: 2014
PÁGINAS: 472
GÊNERO: Romance


SINOPSE


Alicia sabe curtir a vida. Ela viajou o mundo, é inconsequente, adora uma balada e é louca pelo avô, um rico empresário, dono de um patrimônio incalculável. Após a morte do avô, ela vê sua vida ruir com a abertura do testamento. Vô Narciso a excluiu da herança, alegando que a neta não tem maturidade suficiente para assumir seu império – a não ser, é claro, que esteja devidamente casada. Alicia se recusa a casar, está muito bem solteira e assim pretende permanecer. Então, decide burlar o testamento com um plano maluco e audacioso, colocando um anúncio no jornal em busca de um marido de aluguel. Diversos candidatos respondem ao anúncio, mas apenas um deles será capaz de fazer o coração de Alicia bater mais rápido, transformando sua vida de maneiras que ela jamais imaginou. 
 http://carinarissi.com.br/procura-se-um-marido/ADAPTADO





RESENHA








Alicia é uma jovem de 24 anos que perdeu os pais quando ainda era muito pequena e por esse motivo foi educada pelo avô Narciso, um empresário de sucesso e multimilionário, que criou a neta em um ambiente luxuoso e sofisticado. Alicia é uma personagem incrível, e tem um misto de liberdade, rebeldia, delicadeza e compaixão. Ao mesmo tempo em que ama viajar e se aventurar pelo mundo, morre de medo de tempestades e borboletas (assim como eu rs).
Ela vive com o avô em uma Mansão e ama desfilar pelas ruas com seu carro importado sem preocupar-se com os negócios da familia. Narciso sempre recita longos discursos sobre ter responsabilidades e juízo, mas Alicia não quer gastar seu dias enfiada dentro de um escritório sufocante. Ela quer sair e viver a sua vida sem limites, experimentar os diversos sabores e cores, sem prender-se ao trabalho ou amores.
No entanto, em uma certa manhã, a menina Alicia é pega de surpresa. Seu avô havia falecido. O mundo dela veio ao chão, não tinha mais ao seu lado a única pessoa que compunha a sua família. E juntamente a tristeza do luto veio uma noticia inesperada: ela havia sido excluída do testamento temporariamente. O vô Narciso elaborou uma clausula, onde relata que a neta só poderia usufruir da herança e dos bens do falecido, quando se casasse.

“Contudo, devido a incapacidade da herdeira de cuidar de si mesma, instituo como curador da totalidade de meus bens o senhor Clóvis Pereira Hernandez e, como presidente das minhas empresas, o senhor Hector Simione, até que a herdeira legitima esteja devidamente casada há mais de um ano.”





Eu sei o que você pode estar se perguntando: Que velho machista, por que ele fez isso com a própria neta? Ele quis obrigar ela a ter os mesmos valores que ele? Será que ele se esqueceu que ela estava sozinha? Ele não a amava de verdade?  Me fiz todas essas perguntas quando li essa parte da obra. Mas cheguei a uma conclusão que pode ser diferente da sua. Vô Narciso era um senhor idoso, que nasceu em um tempo bem diferente dos dias atuais. E apesar de amar muito a neta, ele também zelava pelo império que deixaria para trás quando morresse, e queria garantir que a Neta estaria pronta para cuidar de tudo e, que principalmente, não estaria sozinha com toda essa responsabilidade.

Alicia fica assustada com a mudança repentina em sua vida. Em um momento, ela estava em sua vida confortável e segura ao lado de seu avô e no outro estava sozinha e triste tendo que lidar com pessoas de quem não gostava e sendo exposta a situações com as quais não estava familiarizada.





Alicia recusa-se a dividir a sua casa com o seu novo “tutor” Clóvis e sua esposa, e muda-se para a casa de sua melhor amiga e confidente Mari, que a consola e a ajuda a enfrentar essa nova realidade. Alicia começa a trabalhar na empresa de seu falecido avô, já que no testamento ele deixou para ela um cargo vitalício. E é no primeiro dia de trabalho e em meio a tanta dor, raiva e solidão que Alicia conhece o charmoso Max. O homem por quem se apaixonará intensamente e a quem odeia totalmente.
Como uma flor que brota no meio do deserto e que enfrenta o extremo calor durante o dia e ao frio congelante a noite. Alicia, persiste a tudo, e tenta reaver sua vida antiga de volta. Juntamente com sua amiga Mari, ela tenta encontrar brechas no testamento, para que pudesse acessar a herança deixada por Narciso, mas infelizmente elas não obtém, sucesso. Só resta uma alternativa: Casar-se.






Alicia não quer manchar a lembrança do avô, acusando-o de estar metalmente vulnerável, mas também não quer ter de passar o resto da vida sem ter aquilo que por direito era dela. Então ela decide casar-se, mas do jeito dela. Contratando um marido de aluguel.
Ela coloca um anúncio no jornal e logo aparecem os candidatos, um mais estranho que o outro. Até que quando ela já estava quase desistindo, um pretendente à vaga aparece e a supreende. Porque o Max se candidataria? Ele não aparentava ter dificuldades em arrumar uma esposa do modo convencional. Não que ela também tivesse alguma dificuldade, ela só não queria envolvimentos românticos, assim como ele também não queria, mas precisava de uma esposa que o ajudasse a aparentar estabilidade e segurança.
Diferente dos demais pretendentes, Max parecia sensato e nada maluco - pelo menos aparentemente rs – e já que ambos estavam precisando de ajuda, decidiram que a cooperação mútua seria lucrativa para ambos. O que eles não sabiam é que esse casamento de fachada traria para a vida deles muito mais que negócios lucrativos, uma história de amor e cuidado nasceria tão naturalmente quanto a flor no deserto.

Espero que curta essa resenha e ajude a divulgar o trabalho tão especial desse blog! Siga  o blog @estantedami no intagram e no facebook.

Siga-me também nas redes sociais:
Instagram: @natalha_neves
Facebook: Natalha Souza
E-mail para contato: natalha.neves@gmail.com

Nenhum comentário:

por Milene Farias desde 2016. Tecnologia do Blogger.