Resenha #56: Uma dobra no tempo de Madeleine L'Engle

FICHA TÉCNICA:

Autor:  Madeleine L'Engle
Título: Uma dobra no tempo - vol 1
Local de Publicação: Rio de Janeiro, 2017
Editra: Harper Collins
Nº páginas: 220

Gênero: Ficção Infanto-Juvenil


Sinceramente, Meg. Não sei como uma criança com pais tão geniais pode ser tão fraca nos estudos.  pág 9

SINOPSE: 
"Um clássico da fantasia e da ficção científica emerge!


Era uma noite escura e tempestuosa; a jovem Meg Murry e seu irmão mais novo, Charles Wallace, descem para fazer um lanche tardio quando recebem a visita de uma figura muito peculiar.

“Noites loucas são a minha glória”, diz a estranha misteriosa. “Foi só uma lufada que me pegou de jeito e me tirou da rota. Descansarei um pouco e seguirei meu rumo. Por falar em rumos, meu doce, saiba que o tesserato existe, sim.”

O que seria um tesserato? O pai de Meg bem andava experimentando com a quinta dimensão quando desapareceu misteriosamente... Agora, com a ajuda de três criaturas muito peculiares, chegou o momento de Meg, seu amigo Calvin e Charles Wallace partirem em uma jornada para resgatá-lo. Uma jornada perigosa pelo tempo e o espaço. 
Uma dobra no tempo é uma aventura clássica, que serviu de inspiração para os mestres da fantasia e da ficção científica do mundo, agora adaptada para os cinemas pela Disney. Junte-se à família Murray nesta jornada, entre criaturas fantásticas e novos mundos jamais imaginados."



RESENHA:
Quando se avalia um livro você não pode simplesmente tomar nota apenas do enredo, personagens e narrativa, você precisa analisar o cenário literário em que a obra foi publicada e a saga do autor ao publicá-lo. E esse livro, mais do que outros me ensinou e fortaleceu de verdade essa minha convicção.

Esse é um daqueles livros que você precisa abrir o coração e vestir a capinha sua de quando tinha 11 anos para encarar essa jornada ao lado dos protagonistas.
Escrito em uma linguagem Universal (infantil) mas trazendo várias explicações científicas de "gente grande" - mesmo que não sendo tão aprofundadas -  "Uma Dobra no tempo" certamente pegou muita gente desprevenida, principalmente as editoras de 50 anos atrás. É isso mesmo, a obra foi publicada pela primeira vez em 1962, mas somente após passar 2 anos de editora em editora e todas recusando-se a publicá-lo. Porque isso aconteceu? Simples: a temática fazia com que o livro não se encaixa-se bem em qualquer um dos gêneros na época, e os editores não compreendiam de que forma uma história assim chamaria atenção do público e como eles divulgariam a obra.

 Hoje em dia é mais fácil, podemos chamar ele de um livro infanto-juvenil de fantasia e ficção científica e pela primeira vez ele chega ao Brasil, publicado e traduzido pela Harper Collins. Bom mas agora vamos falar um pouco sobre a história em si:
....
Meg, Charles Wallace, seu imão, e Calvin, um amigo, embarcam na maior e mais perigosa jornada de suas vidas, eles precisam viajar no espaço para os mais sinistros e belos planetas para tentar encontrar e salvar o pai de Meg, um físico que estava estudando formas de se transportar no tempo e espaço e que acabou desaparecendo misteriosamente.

Ao lado de criaturas divertidas e inteligentíssimas com nomes bem peculiares eles enfrentarão todos os perigos de planetas estranhos e precisarão confiar nos seus instintos e habilidades para escapar ilesos e voltar para a Terra.

Sobre os personagens:
Meg é uma menina tímida, inteligente e incompreendida pelos colegas e professores que ora a chamam de tola e ora dizem que ela se comporta assim porque o pai os abandonou anos atrás. 

Mas a paixão da vida é o irmãozinho dela de 5 anos, Charles Wallace, chamado por todos de "esquisto" ele é uma criança super dotada de uma inteligência racional e emocional que te espanta, mas somente Meg e sua mãe sabem disso. Grande parte das falas mais adultas do livro, inclusive, partem dele. Um ama o outro incondicionalmente. E é lindo de ver essa amizade entre dois irmãos aqui.

Sra Quem, Sra. Qual e Sra. Quequeé (sim, os melhores nomes possíveis haha) serão as guias deles nessa aventura. Meg terá que acreditar mais do que nunca em si mesma e estranhamente confiar nos seus "defeitos". Agora ela é uma heroína e precisa enfrentar coisas terríveis para salvar aqueles que ama.

VEREDITO

O livro é o primeiro de uma série de 6, por isso ele deixa muitas pontas soltas para o desenrolar da história nos próximos volumes. 
É uma fantasia infanto-juvenil, publicada em 1962 por uma mãe, na época, dona de casa, formada em letras, ex-atriz e que era completamente apaixonada pela escrita e que nunca desistiu de publicar seus livros. 

Ele é divertido, leve, com explicações científicas bem breves e com uma criação de mundo acessível a qualquer público.
 Eu havia ficado um pouco confusa até metade do livro por ter essa abordagem um tanto quanto infantil para assuntos mais densos com os quais estou mais acostumada a ler em obras de ficção científica, mas confesso que depois que me entreguei na história eu gostei bastante do livro e é uma leitura que eu super recomendo!
 A edição é maravilhosa, em capa dura e folha amarela! Linda demais! Tirei várias fotos para mostrar para vocês.



Classificação da Mi: 4,0


Você pode comprar ele com esses links e ainda ajudar o blog:



4 comentários:

  1. Olá Mi! Muito importante você fazer trazer esse contexto que o livro foi escrito! É igualmente importante que nós leitores nos adequarmos ao tempo que o livro foi escrito e a faixa etária dos personagens... Parabéns pela sinceridade! Beijo!

    www.blogleituravirtual.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Gustavo! Quando você puder, sei que não é fácil hehehe, leia ele.

      Beijo!

      Excluir
  2. Obrigada Mi por essa resenha porque vi mt gnt comentando que o livro era chato isso ou aquilo e até estranhei. Acho q mt gnt não entende as propostas de livros infanto juvenis, pegam o livro pensando em um YA ou não estão acostumados com livros Mais infantis msm e acabam julgando erroneamente a obra. Eu ainda não li, mas ja sei exatamente o que esperar. E espero que a leitura seja agradável e que eu goste mesmo. Vou até compartilhar sua resenha na minha página. Bj

    ResponderExcluir
  3. É um livro que todos deveriam ver, e agora, graças ao filme, ele terá uma maior difusão. Devo acrescentar que sua versão cinematográfica pareceu muito bem sucedida. Adorei a participação de Chris Pine. Ele também fazia parte de mulher maravilha elenco onde ele fez um ótimo desempenho. Ele sempre surpreende com os seus papeis, pois se mete de cabeça nas suas atuações e contagia profundamente a todos com as suas emoções. Além, acho que a sua participação neste DC comics filme realmente ajudou ao desenvolvimento da história.

    ResponderExcluir

por Milene Farias desde 2016. Tecnologia do Blogger.