[Resenha] #62: Persépolis de Marjane Satrapi

FICHA TÉCNICA

Autora: Marjane Satrapi
Título: Persépolis
Ano de publicação: 2007
Editora: Cia das Letras - Selo Quadrinhos na Cia.
Nº Páginas: +250
Gênero: Quadrinhos / Islamismo / Irã



SINOPSE

"Marjane Satrapi tinha apenas 10 anos quando viu-se obrigada a usar o véu islâmico, numa sala de aula só de meninas. Nascida numa família moderna e politizada, em 1979, ela assistiu ao início da revolução que lançou o Irã nas trevas do regime xiita, apenas mais um capítulo nos muitos séculos de opressão dos persas. 25 anos depois, com os olhos da menina que foi e a consciência política à flor da pele da adulta em que transformou-se, Marjane, emocionou leitores de todo o mundo com sua autobiografia nos quadrinhos, que só na França vendeu mais de 400 mil exemplares. Em Persépolis, o popular encontra o épico, o oriente toca o ocidente, o humor infiltra-se no drama, e o Irã parece muito mais próximo do que poderíamos suspeitar."

CRÍTICA

Não sabia como começar a falar sobre esse livro, já que é a história da vida da própria autora, que resolveu compartilhar, primeiramente com seus amigos, a vida da menina sonhadora de 10 anos que só foi ser livre novamente depois de muito sofrimento e autodescoberta. A cidadã iraniana, a cidadã do mundo, a menina que não se encaixava em lugar nenhum.


É uma história em quadrinhos que não tem nada de infantil ou divertido. Em cada página temos o contato com a Marj em toda a sua essência e vivemos junto todas as transformações dela e do período em que vivia. Período que começa aos 10 anos dela até por volta dos seus 25 anos.

Um livro que fala de uma forma inteligente e crítica sobre política, guerras e autodescoberta de uma menina obrigada a crescer e amadurecer antes do tempo.

O principal choque que esse livro nos causa é o contato com a cultura do Irã, no caso, a nova cultura imposta pelos Revolucionários do Islamismo na década de 1980, onde se menospreza as mulheres e o comportamento é controlado de acordo com as sagradas escrituras. Tudo isso é exposto pela Marjane de uma forma que te envolve totalmente na história em alguns momentos causa revolta, em outros ela te faz rir e por fim ela faz entrar em desespero e não saber mais o que vai acontecer com a vida dela e principalmente não te faz crer que isso realmente aconteça, ainda mais nós, brasileiros que somos revoltados com tudo e também enfrentamos períodos conservadores na nossa história, mas que nem de longe se assemelha ao Fundamentalismo imposto ali e nas regiões próximas.



VEREDITO



Persépolis é um livro que conta a história de uma mulher que foi criada para ser livre, independente e conquistar o mundo em um país que não lhe dá nem o direito de expor a opinião e mostrar 1 cm de pele além do rosto.



Quem gosta de história vai se sentir dentro do período da Revolução Iraniana e vai entender melhor a história dos descentes dos Persas, que perseguidos e explorados acabaram se acostumando a não ter mais uma visão política e viver de acordo com as regras, onde a liberdade é uma utopia.

Recomendo demais pra todo mundo!



PONTOS FORTES
* Narrativa divertida em vários momentos tensos;
* Desenhos feitos pela própria Marjane onde a essência dela é percebida nesse livro através de expressões e representação de sentimentos;
* A cultura do país sendo apresentadas do jeito dela;
* É uma história real, chocantemente real.

PONTOS FRACOS
*O livro acaba

CLASSIFICAÇÃO DA MI



ONDE COMPRAR O LIVRO?



2 comentários:

  1. Meu Deus, preciso muito ler essa GN. Nunca li uma, mas essa tá me chamando haha

    Amei, Mi <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também não tinha nenhuma experiência com livros assim, resolvi dar uma chance depois que uma amiga me convenceu de que era muito bom.

      Excluir

por Milene Farias desde 2016. Tecnologia do Blogger.