[Resenha] #69: O Hobbit de Tolkien

FICHA TÉCNICA
Autor: J.R.R. Tolkien
Título: O Hobbit
Ano de Publicação: 2012
Edição: 1 (Edição comemorativa de 75 anos)
Editora: WMF Martins Fontes
Nº páginas: 320

Gênero: Fantasia/ Alta Fantasia



SINOPSE

"Os hobbits são seres muito pequenos, menores do que os anões. São de boa paz, sua única ambição é uma boa terra lavrada e só gostam de lidar com ferramentas manuais. Este livro tem como personagem central o hobbit Bilbo Bolseiro. Ele vive muito tranquilo até que o mago Gandalf e uma companhia de anões o levam numa expedição para resgatar um tesouro guardado por Smaug, um dragão enorme e perigoso."

Se você voltar, não será mais o mesmo.

CRÍTICA

Aventura e coragem. Se eu fosse descrever O Hobbit em duas palavras, essas seriam, com certeza, as mais adequadas.

Você perguntou-me uma vez, se eu tinha lhe contado tudo sobre minhas aventuras. Honestamente posso dizer que contei a verdade. Talvez eu não tenha contado toda ela.

O Hobbit é uma obra-prima, escrita ao longo de 12 anos - sim, exatos 12 anos - pois o Tolkien adorava contar histórias para seus filhos -  aí foi inventando uma de um tal de Bilbo Bolseiro, um hobbit (criatura que ele mesmo inventou) que vivia feliz e realizado na sua luxuosa toca na região das Colinas da Terra Média. Aí um dia aparece um mago chamado Gandalf e uma companhia de 13 anões que estavam em busca da reconquista de seus antigos tesouros, numa cadeia de montanhas que era resguardado por um terrível dragão chamado Smaug

Você terá uma história e tanto para contar quando voltar.

Bilbo que era metade Tûk (lado da mãe) e metade Bolseiro (lado do pai) enfrentou trolls, aranhas gigantes, orcs, elfos e muitos dias de cansaço, fome e medo,  para então conseguir chegar a montanha e aí tentar derrotar o Smaug - O Terrível.



Basicamente Tolkien criou todo um Universo composto por criaturas já conhecidas de diversos folclores e outras que ele mesmo decidiu criar. Além disso, criou um cenário muito bem mapeado para orientar os próximos aventureiros que quisessem conhecer a história do hobbit. E como se não bastasse uma criação de mundo impecável e personagens marcantes, ele, como era linguista, criou as línguas dessas criaturas: o Sindarin e o Quenya (falado pelos Elfos) e o Órquico ou Língua Negra falada pelos Orcs, por exemplo.

A narrativa criada por Tolkien é feita em terceira pessoa, por isso é um narrador (no caso o próprio Tolkien) que nos conta timtim por timtim a aventura vivida pelo Bilbo e sua companhia de anões.


Muitos falaram que a narrativa era muito descritiva e até complexa para entender, por isso se tornava cansativa. Concordo apenas com a parte de ser muito descritiva, mas convenhamos, se você cria um universo vasto, repleto de criaturas, lugares e história não tem como você só jogar de para-quedas o leitor lá, precisa pelo menos, dar uma pincelada em algumas histórias mais antigas para compreender a atual.


VEREDITO
Um universo rico e que de tão bem feito atravessou décadas, encantou gerações e se tornou um divisor de águas na fantasia.

 Tolkien era um contador de histórias sem igual que influenciou não apenas leitores do mundo todo, como os maiores escritores que conhecemos hoje em dia como J.K. Rowling e George R.R. Martin.

 As obras criadas por ele apenas deram início ao que chamamos de Alta Fantasia (falarei mais em outro post).

A sua história foi criada para falar de coragem, de amizade e de amor. Tolkien, com seu personagem principal quis provar que todos podemos mudar o rumo de nossas histórias se enfrentarmos nossos próprios medos e acreditarmos em nós mesmos.  




PONTOS FORTES:

*  Universo criado é vasto e muito bem explorado;
*  Tema bem desenvolvido;
*  Diálogos de acordo com o contexto de cada personagem.
*  Personagens interessantes e importantes na história.
* Gandalf: o melhor mago da história que quando a mágica não adiantava ele partia pra porrada com espada e cajado! \o/

PONTOS FRACOS:

* Não há personagens femininas que ganhem destaque, inclusive, raramente cita-se mulheres na história (diferentemente do filme, que cria a personagem motherfu%$ Tauriel, exclusivamente para representar a mulher ainda cria-se, na trilogia do Senhor dos Anéis(filme) a personagem Éowyn, que é uma das melhores guerreiras da história!) ; Por isso, ponto negativíssimo pra ele!

* Narrativa lenta em alguns momentos, detalhando, além do lugar, impressões que o personagem pode estar tendo, já que é narrado em terceira pessoa;



CLASSIFICAÇÃO DA MI:

ONDE VOCÊ PODE COMPRAR ESSA EDIÇÃO:

Nenhum comentário:

por Milene Farias desde 2016. Tecnologia do Blogger.