[RESENHA] #74: O Guia do Mochileiro das Galáxias de Douglas Adams

FICHA TÉCNICA

Autor: Douglas Adams
Título: O Guia do Mochileiro das Galáxias
Ano de Publicação: 2009
Editora: Arqueiro
Nº páginas: 204
Gênero: Ficção Científica / Ficção Inglesa




SINOPSE

"Considerado um dos maiores clássicos da literatura de ficção científica, O guia do mochileiro das galáxias vem encantando gerações de leitores ao redor do mundo com seu humor afiado.
Este é o primeiro título da famosa série escrita por Douglas Adams, que conta as aventuras espaciais do inglês Arthur Dent e de seu amigo Ford Prefect.
A dupla escapa da destruição da Terra pegando carona numa nave alienígena, graças aos conhecimentos de Prefect, um E.T. que vivia disfarçado de ator desempregado enquanto fazia pesquisa de campo para a nova edição do Guia do mochileiro das galáxias, o melhor guia de viagens interplanetário.
Mestre da sátira, Douglas Adams cria personagens inesquecíveis e situações mirabolantes para debochar da burocracia, dos políticos, da 'alta cultura' e de diversas instituições atuais. Seu livro, que trata em última instância da busca do sentido da vida, não só diverte como também faz pensar."

Como é sabido, a vida apresenta uma série de problemas, dos quais os mais importantes, são, entre outros, Por que as pessoas nascem? Por que elas morrem? Por que elas passam uma parte tão grande do tempo entre o nascimento e a morte usando relógios digitais?


RESENHA

Dizem que os britânicos têm o melhor senso de humor do mundo, um humor quase sempre irônico. Se isso é verdade ou não eu não sei, mas que o sr. Douglas Adams é um escritor feito de humor e ironia, ah isso ele é!

A saga do Guia do Mochileiro das Galáxias foi criado nos anos 90 e inicialmente se tornou um programa de rádio. E foi para a literatura algum tempo depois, tornando-se um dos grandes clássicos do gênero da ficção científica. 

No primeiro volume dessa aventura espacial conhecemos Arthur Dent e o Mochileiro Espacial Ford Perfect, que por acidente, acabou ficando 15 anos preso na Terra. E num dia como outro qualquer, Ford identificou que algumas naves se aproximavam do planeta, e infelizmente sabia quem eram, os Vogons, uma das piores raças alienígenas e que eram os responsáveis pela destruição de muitos planetas. Era o fim do mundo e Perfect precisava salvar seu amigo, Arthur Dent.

E foi assim que a aventura de Arthur e Ford se inicia, à bordo de uma nave vogon em que eles conseguiram uma carona com ajuda dos dentrassis que eram os serviçais dos Vogons.

O Guia do Mochileiro das Galáxias é como um wikipedia e cada viajante vai acrescentando uma nota de acordo com as coisas que conhece. Nesse guia, em letras garrafais está escrito na frente: NÃO ENTRE EM PÂNICO! Como primeira lei de um mochileiro, e como segunda: leve junto a sua toalha!


Nessa aventura espacial seremos apresentados à lugares e personagens icônicos, que te fazem rir muito e também identificar inúmeras críticas, algumas sutis e outras bem claras para que possamos, realmente, analisarmos o nosso papel no mundo.

É um fato importante, e conhecido por todos, que as coisas nem sempre são o que parecem ser. Por exemplo, no planeta Terra os homens sempre se consideraram mais inteligentes que os golfinhos, porque haviam criado tanta coisa - a roda, Nova York, as guerras, etc - enquanto os golfinhos só sabiam nadar e se divertir. Porém, os golfinhos, por sua vez, sempre se acharam muito mais inteligentes que os homens -  exatamente pelos mesmos motivos.

Arthur e Ford vão vivenciar histórias inimagináveis e mal posso esperar para saber o que acontece no próximo livro!


PONTOS FORTES:

*  Personagens muito divertidos;
*  Capítulos curtos e rápidos de ler;
* Críticas sutis bem equilibradas com um humor que satiriza tudo.
* A Toalha, que se tornou um símbolo da saga e foi até criado um dia para ela! Dia 25 de maio, também Dia do Orgulho Nerd.

PONTOS FRACOS:

* Nomes muito esquisitos e difíceis de pronunciar (como eu faço uma leitura mais dinâmica, em grupos de palavras, eu acabava tendo que voltar na linha anterior porque nem tinha entendido o nome, e isso me incomodava)


VEREDITO

Divertido, irônico e único. A escrita super dinâmica do autor facilita muito a leitura. Assim como seus capítulos curtos. Achei ele com um "Q" de infantil em alguns momentos e em vários outros havia uma grande crítica social, o que me fez gostar desse equilíbrio.
Esse livro foi uma grata surpresa  e gostei muito de ter lido.

CLASSIFICAÇÃO DA MI

Nenhum comentário:

por Milene Farias desde 2016. Tecnologia do Blogger.